Abrir Menu

Dia Internacional da luta contra a AIDS

O mês de dezembro já começou e esse mês está cheio de conscientização, dia 01 tivemos o Dia Internacional de Luta Contra a Aids e separamos algumas informações sobre essa doença, sintomas, prevenção e tratamento.


O mês de dezembro já começou e esse mês está cheio de conscientização, dia 01 tivemos o Dia Internacional de Luta Contra a Aids e separamos algumas informações sobre essa doença, sintomas, prevenção e tratamento.

1.       Aids

É uma doença infectocontagiosa para a qual ainda não existe cura. Ela é causada pelo HIV, vírus da imunodeficiência humana, que invade e destrói células de defesa conhecidas como T-CD4, responsáveis por organizar a resposta imunológica. Sem essa proteção, o organismo fica mais suscetível a diversas infecções oportunistas, como herpes, tuberculose, pneumonia, candidíase e meningite. Até alguns tipos de câncer são associados à aids.

2.       Sintomas

Dificilmente aparecem sinais significativos da doença logo após a infecção pelo HIV. Depois de um período, que em geral varia de três a seis semanas, podem surgir sintomas iniciais e não específicos, como:

  • Febre e mal-estar que lembram uma gripe
  • Fraqueza
  • Diarreia
  • Gânglios aumentados

No entanto, após um tempo da invasão do HIV, consequências mais graves dão as caras:

  • Perda de peso
  • Anemia
  • Perda de memória e dificuldade de concentração
  • Doenças oportunistas (hepatites virais, tuberculose, pneumonia, toxoplasmose, candidíase e sarcoma de Kaposi, um tumor de pele)

3.       Prevenção

Em se tratando de HIV, podemos separar as medidas de prevenção em estratégias para impedir o contágio em si e as táticas para evitar que a infecção, uma vez estabelecida, evolua para a aids em si.

 

·         Usar sempre o preservativo durante o sexo

·         Não compartilhar seringas, agulhas e objetos cortantes

·         Materiais usados para tatuagens e piercings também devem ser feitos com material descartável

·         Realizar periodicamente o teste de HIV, disponibilizado em postos de saúde gratuitamente

·         Grávidas infectadas precisam iniciar o tratamento quanto antes para que seja possível evitar a disseminação do HIV para a criança ao longo da gravidez na hora do parto

·         Pessoas que se expuseram a situações de risco podem ser encaminhadas à PEP, profilaxia pós-exposição, em que são administrados medicamentos para conter a infecção inicial

·         Outra opção é que os indivíduos comumente expostos a essas situações de risco recorram à Profilaxia Pré-Exposição (PREP), também disponível na rede pública

 

4.       Tratamento

Embora não se tenha chegado à cura, hoje já é possível falar em controle total da aids. Se a descoberta da presença do HIV ocorre logo após a infecção, os danos ao sistema imunológico são mínimos.

 

Com o coquetel anti-HIV, uma combinação de drogas que atacam o vírus em diferentes estágios, as defesas do portador não vão ruir e, consequentemente, ele evita as complicações derivadas da imunodeficiência.

 

O coquetel antirretroviral é composto de algumas drogas e receitado até mesmo antes de a síndrome se manifestar. O tratamento aumenta a sobrevida e melhora a qualidade de vida do paciente, embora, sobretudo na fase inicial, possa levar a efeitos colaterais como diarreia, vômito, náusea e insônia.

 

A conscientização é o essencial para prevenção, para detectar a presença de anticorpos contra o HIV existem dois exames de sangue são usados. No convencional, chamado Elisa, o resultado sai em alguns dias, e o teste rápido – oferecido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde, nas unidades da rede pública e nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA) – é possível obter a resposta em 30 minutos.

Por Comunicação IEPG - Pós-Graduação


Voltar